Aluno da UV participa de projeto na África

 

A vida avança com a tecnologia

  

Martins é formado em Tecnologia em Webdesigner e Programação e fez pós-graduação em Gerência de Projetos em TI, ambos na UV

Quando computador e internet ainda era sonho para a maioria dos brasileiros, José Henriques Martins começou a trabalhar com Tecnologia da Informação (TI), em 1983, mas sem formação superior e nenhuma perspectiva para consegui-la, embora fosse um dos seus sonhos. 

Somente aos 43 anos, já com uma longa trajetória, vislumbrou a chance da graduação e depois da pós-graduação tornarem-se realidade.  “Há muito tempo sentia a necessidade de ter uma formação superior, mas os percalços da vida foram me desviando desse caminho. Em 2006, sentia que um curso e uma especialização eram imprescindíveis para que minha vida profissional não ficasse estagnada. Mas, com tantos compromissos profissionais e responsabilidades, não tinha disponibilidade nem dinheiro para cursar uma universidade. Foi então que veio a ideia do ensino a distância”, conta ele.  

Hoje, 28 anos depois, aos 48 anos de idade, casado e pai de 4 filhos, comemora as conquistas de uma graduação em Tecnologia em Webdesigner e Programação pela UnisulVirtual, duas pós-graduações, uma delas em Gerência de Projetos de TI, também pela UV, e o resultado do empenho e da dedicação no trabalho e na vida acadêmica, com projetos no Brasil e na África.

Mesmo vivendo do Rio de Janeiro, segundo ele foi a esposa quem pesquisou e escolheu a Unisul, que considerou a melhor entre todas as analisadas, pois “parecia melhor estruturada, era reconhecida pelo MEC, oferecia cursos dentro de minha área de interesse e era financeiramente viável”, argumenta. 

Embora tivesse trabalhado na área quase a vida toda, foi quando iniciou a graduação, em 2007, que melhores oportunidades surgiram. No mesmo ano foi promovido a gerente de projetos da empresa em que trabalha, a Top Down.

Paralelamente, a empresa decidiu participar da avaliação do processo de certificação de qualidade de software brasileiro (MPS-BR) no nível de maturidade F. O MPS-BR (Melhoria de Processos do Software Brasileiro) é um modelo brasileiro voltado para pequenas e médias empresas de desenvolvimento de software, com o selo reconhecido em território nacional. A maturidade vai de G até A, sendo G o nível inicial e o A o nível alto de maturidade. “A diretoria determinou que dois dos projetos que eu estava gerenciando fossem avaliados pela certificadora. A empresa teve sucesso e conseguiu o selo.”

“Foi um período de muito trabalho, muitas vezes eu estudava de madrugada, dormia em média 3 a 4 horas por dia. Mas eu estava a mil, feliz por finalmente ter a possibilidade de me formar e cada vez mais apaixonado com a metodologia, os livros, a didática, com o nível dos professores e tutores, tudo me encantava”, afirma ele, sem esconder o orgulho pelas conquistas.

 Em 22 Agosto de 2009, dia do aniversário esposa, aconteceu a formatura, cuja alegria impulsionou para novos planos. “Agora, precisava me especializar. Queria ser um gerente de projetos, com certificação, mas antes faria uma pós-graduação. Com a experiência tão positiva que tive na Unisul, decidi, em 2010, entrar para pós-graduação”, relata ele, que paralelamente iniciou uma segunda pós-graduação em outra universidade. 

No mesmo ano, a empresa decidiu buscar novos rumos também, o que incluiu o crescimento de Martins: “eles queriam aumentar o nível de maturidade no processo de certificação MPS-BR e também se aventurar na certificação internacional de qualidade de desenvolvimento de Software, conhecida como CMMI (Capability Maturity Model Integration), em um nível elevado de maturidade (Nível 3 – sendo que os níveis vão de1 a5,  no qual 1 é o inicial e 5 é o nível mais alto). Para que tudo isso acontecesse, a empresa me deslocou para ser o responsável pela gerência de Melhoria de Processos da empresa, o que para mim foi uma honra”.

Conciliar os planos da empresa e os próprios sonhos significou poucas horas de sono, angústias e incertezas. “Houve momentos em que eu queria desistir de estudar, mas minha esposa e meus professores da Unisul me incentivavam a seguir em frente”, comenta.

No mês passado, em setembro, concluiu a pós-graduação na UnisulVirtual e acaba de retornar de Moçambique, na África, onde participa de um projeto internacional da empresa. “Hoje eu tenho a certeza de que a Unisul mudou minha vida. Minhas grandes conquistas só foram viáveis após minha graduação, com um ensino de qualidade, flexibilidade de local e tempo, fatores cruciais para tornar viável minha formação. A Unisul me permitiu realizar sonhos antigos, já a muito considerados quase impossíveis. E agora, novos planos, novas metas, novos sonhos”, afirma ele.

Velhos sonhos realizados e novas perspectivas para alguém cuja idade, o tempo e a distância não foram e possivelmente não serão empecilhos para avançar, isso quase tão rápido quanto a própria tecnologia, a qual ele dedicou boa parte da vida e com o conhecimento da graduação e da pós-graduação pode conhecer ainda melhor.