Aluno da UV passa em quatro processos seletivos de Mestrado

Isaias Albertin só tem 30 anos, mas sua trajetória reúne episódios e conquistas que para muitos seria necessário o dobro de anos. Hoje ele é estudante de Ciências Econômicas da UnisulVirtual e sua última façanha foi passar em 4 mestrados simultâneos: Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Pontífica Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Pontifica Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) e Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ).

Ele é mineiro de Monte Santo de Minas, mas já passou por várias cidades brasileiras. Aos 17 anos, foi estudar e treinar natação no Corinthians, em São Paulo. No ano seguinte, passou no vestibular de uma das universidades mais concorridas do País, a Mackenzie. Escolheu o curso de Comunicação – ênfase em Publicidade, Propaganda e Marketing. Mal sabia ele que quatro anos depois, já formando, sua vida daria uma volta enorme, geográfica e profissional.
 
Terminada a graduação, em 2005, decidiu fazer um intercâmbio no Canadá. Morou 3 meses na cidade de Toronto e 3 meses em Vancouver. Além disso, viajou 30 dias pelos Estados Unidos. Uma aventura: “Voltei em 2006 decidido a mudar de profissão. Não gostava da publicidade”.
 
Mudou completamente os rumos de sua vida profissional: foi para Brasília, capital federal, estudar para concursos. Logo depois, passou em uma seleção temporária: “Era um contrato de 4 anos do Ministério da Previdência Social. Nessa época, também fiz uma pós-graduação em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília – UnB e resolvi sair da Ministério da Previdência e me dedicar aos estudos”, conta ele.  
 
Segundo Isaias, foi quando decidiu estudar novamente que descobriu o curso de Comércio Exterior da UnisulVirtual: “Gostei muito da grade, pois englobava teoria e prática. Havia várias matérias de Relações Internacionais e Economia. Essas despertaram meu interesse”.
 
Por problemas de saúde, precisou voltar para Monte Santo de Minas em 2009. Passou por uma cirurgia para retirada de um tumor cancerígeno na tireóide e fez radioterapia. A facilidade do ensino a distância, permitiu que, embora com os estudos atrasados por causa do tratamento, conseguisse terminar o curso de Comércio Exterior.
 
Aos poucos, com o problema superado, a rotina voltou ao normal. “Eu sempre fui muito autodidata, sempre gostei de ler muito e sobre tudo. Eu sou curioso e procuro o conhecimento sempre. Por isso me dei bem e gosto do sistema de ensino a distância”, afirmou ele, que decidiu fazer o segundo curso na UnisulVirtual. Desta vez, Ciências Econômicas.
 
Estudar também despertou nele outros interesses: a pesquisa e a docência. Reuniu todo o conhecimento que adquiriu com cada curso e montou um projeto englobando Relações Internacionais, Comércio e Comunicação. “O foco é a importância da Diplomacia Cultural como expressão de poder de um Estado”, explicou ele, que escolheu, entre as 4 opções, cursar o mestrado na Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ), uma instituição considerada de de ponta na pesquisa e ensino de ciências sociais ao nível de pós-graduação no Brasil. Pela qualidade do ensino, poucas vagas são abertas anualmente e o programa que Isaías escolheu, Ciência Política e Relações Internacionais, possui a nota máxima atribuída pela CAPES: 7, que raras universidades brasileiras alcançaram.
 
Além disso, dentro desta conquista, Isaias comemora outra: passou em 1º lugar, com nota 9,57.
 
Ao conhecer sua história, compreendemos que a fórmula para tantas conquistas não é mágica, mas resultado de muita dedicação: “Se tenho uma dúvida corro atrás até solucioná-la. Acho que o ensino a distância é o futuro da educação em razão de nossa vida cada dia mais corrida e por sua possibilidade de mobilidade e flexibilidade, mas é importante procurar outras bibliografias e se atualizar com cursos também, além das apostilas. Além disso deve ter uma rotina de estudo diária. O curso não faz milagre, isso depende do aluno. Ele pode optar em ser um aluno com conhecimentos básicos ou se aprofundar por conta própria”, afirma ele, orgulhoso de suas conquistas, mas ciente de que fez o dever de casa!