Vida de aluno

Do Enem à UnisulVirtual

Aos 38 anos, Geovani Esperança Ferreira nunca imaginou voltar a estudar, ainda mais, cursar a universidade. Nascido em Sapucaia do Sul (RS), filho de mãe portuguesa e pai gaúcho, desde pequeno ajudou a cuidar dos irmãos gêmeos, apenas onze meses mais novos.

A partir dos nove anos, descobriu a paixão pela capoeira, onde sempre jogou na comunidade em que morava. Já em Porto Alegre, estudou até os 17 anos, onde concluiu o ensino fundamental. Logo após ingressou no serviço militar. Passado um ano, voltou a estudar em um curso técnico em eletrônica, mas teve de interromper devido a uma ótima oportunidade de trabalho na área de promoção e propaganda em uma empresa multinacional.

Aos 26 anos de idade se tornou pai de um lindo garoto, mas dois anos mais tarde o destino acabou separando-os. Mudou-se para Santa Catarina com uma nova proposta, agora de representante comercial. “Em média percorro quatro mil quilômetros por mês e não é fácil administrar tanta correria. O interessante é que conheço vários lugares, pessoas diferentes, em uma função que exige muita dinâmica”.

O tempo passou, o trabalho e a capoeira continuam em sua vida, mas quando pensava em estudar, não via tempo em voltar à sala de aula. Para colocar os estudos em dia, teria que ter todas as noites disponíveis para cursar um supletivo. No início de 2010, soube que o Enem – Exame Nacional do Ensino Médio – daria o diploma de Ensino Médio para quem atingisse as médias de 400 pontos nas disciplinas e 500 na redação. Não contou tempo e viu aí a oportunidade para sua vida.

Correu atrás de material na internet para estudar para a prova que seria dentro de três meses. No meio da correria do trabalho e das viagens, sempre dava um jeito de puxar a apostila para dar uma olhada. Em dois dias de provas, se sentindo o “tio” da turma, chegou a socorrer uma aluna na entrada do prédio que quase desmaiou de nervosa. Quatro meses depois, sem expectativa quanto ao exame, viu no jornal que o resultado estava na internet. Para sua surpresa, com quase notas máximas, foi aprovado e assim o sonho realizado: teria o diploma de Ensino Médio.

A ponte que faltava rumo à universidade já estava ali e surgira outro problema: como fazer uma universidade se o trabalho o impedia de ter uma rotina, no meio de tantas viagens e noites em hotéis?

Incentivado pela namorada, viu na UnisulVirtual a oportunidade para cursar o que mais se identifica: Marketing. Enviou a documentação para inscrição e, para completar a alegria, em pleno carnaval recebeu o comunicado de aprovação. Na comemoração, teve direito a farinha e muitos ovos na cabeça. “Meu coração disparou e não sabia se ria ou chorava. Então fiz os dois. Com um diploma na mão ficará mais fácil alcançar objetivos antes inimagináveis”.

Ferreira se emociona em lembrar que, até então, nunca via perspectiva em cursar uma universidade. “Fiquei surpreso das facilidades disponibilizadas pela UnisulVirtual. Professores online, tutores, tudo muito diferente de uma universidade comum. Mesmo tendo dificuldades em participar das atividades interativas, como os fóruns e murais, sinto que fiz a escolha certa e tenho orgulho sempre que lembro que, há um ano, a universidade parecia um sonho distante e hoje é a minha realidade. O conhecimento é o verdadeiro sentido da nossa existência”, completa.

Hoje, ele cursa o primeiro ano de Marketing. No final de dois anos, receberá o diploma de tecnólogo. Depois, mais dois anos de Administração e terá o diploma de bacharel.