Arquivo da tag: curta duração

Cursos de curta duração na Unisul a partir de R$65,00

A UnisulVirtual está com inscrições abertas para cursos de curta duração autoinstrucionais a serem realizados na modalidade a distância. O formato selecionado visa estimular a autoaprendizagem garantindo mais autonomia ao processo.

Os valores dos cursos variam entre R$65,00 e R$99,00, um investimento bastante acessível para quem deseja atualizar o currículo. As inscrições estão abertas e irão até o dia 18/07/2019. A data prevista para início das aulas é 29/07/2019.

Estudantes matriculados na UnisulVirtual, poderão entrar em contato diretamente com o seu Coordenador para verificar a possibilidade de validação como AACA.

 

Comunicação nas Organizações – princípios básicos

 O curso de Comunicação nas Organizações – princípios básicos apresenta definições tanto da comunicação interna quanto da comunicação externa nas organizações.

Saiba mais: e.unisul.br/comunicacaoorganizacoes

 

Educação Financeira e Introdução ao Mercado de Capitais – vai contribuir para na educação financeira, oferecendo ferramentas para que o concluinte possa controlar suas finanças; determinar o que precisa ou não consumir; controlar o orçamento; conhecer as regras vigentes para poupar e investir, saber como calcular juros e as regras vigentes em nosso país, descobrindo como é o mercado financeiro. O investimento para o ingresso é de R$99,00. Saiba mais: http://e.unisul.br/educacaofinanceira

 

Espanhol básico – Leitura e audição – Com esse curso você aprenderá expressões básicas como saber saudar e se despedir, apresentar-se e apresentar alguém, agradecer, parabenizar, realizar convites, saber localizar-se geograficamente; dominar os dias da semana e horários; assim como o vocabulário básico, a conjugação verbal  (passado, presente e futuro) e outros elementos da estrutura gramatical básica. Além disso, será estimulado à  audição da língua e aos diálogos que exercitam esses conteúdos. O investimento para o ingresso nesse curso é de R$65,00. Saiba mais: http://e.unisul.br/espanholbasico

 

Inglês básico – Leitura e audição – Neste curso, o inscrito aprenderá expressões básicas, saudações, cumprimentos, agradecimentos, parabenizações e realizar convites. Também saberá localizar-se geograficamente; conhecerá os dias da semana e horários; o vocabulário básico, a conjugação verbal  (passado, presente e futuro) e outros elementos da estrutura gramatical básica. Além disso, será estimulado à audição da língua e a diálogos que exercitem esses conteúdos. O investimento para ingresso é de R$65,00. Saiba mais: http://e.unisul.br/inglesbasico

Feiras Internacionais – Introduzirá aos benefícios que as feiras podem propiciar e quais são os critérios a considerar em tomadas de decisão.

Ensinará como elaborar um planejamento de marketing e financeira para a participação em feiras, considerando os aspectos operacionais (como por exemplo: escolher local para o stand, que materiais de marketing disponibilizar, legislação etc.). O investimento para ingresso é de R$ 65,00. Saiba mais: http://e.unisul.br/feirasinternacionais

 

Os Impactos da Reforma Trabalhista no seu Negócio

O curso apresenta as mudanças fundamentais que ocorreram na legislação trabalhista que precisam ser estudadas, compreendidas e, sobretudo, adequadas às relações de emprego, pois afetam diretamente a rotina empresarial. O conteudista é o professor Edgar Herzmann.

Saiba mais: e.unisul.br/reformatrabalhista

 

Treinamento e desenvolvimento de pessoas em organizações – apresentará os conceitos de treinamento e desenvolvimento de pessoas na atualidade, as diferenças e as similaridades. O estudante compreenderá como diagnosticar quais programas de treinamento e desenvolvimento são necessários, o que considerar para elaborá-los, quais as estratégias para sua aplicação e os critérios a serem considerados para a avaliação de seus impactos na organização. O investimento para ingresso é de R$99,00. Saiba mais: http://e.unisul.br/pessoasorganizacoes

Como fica a contribuição sindical com a reforma trabalhista

Por Edgar Herzmann*

A contribuição sindical era obrigatória para empregados e empregadores. A redação anterior do art. 545 da CLT asseverava que os empregadores ficavam obrigados a descontar na folha de pagamento dos seus empregados as contribuições devidas ao sindicato, desde que os empregados autorizassem. A exceção à autorização era apenas para a contribuição sindical, aquela obrigatória que ocorria no mês de março de cada ano.

A reforma trabalhista apenas retirou a última parte do art. 545 da CLT, a qual dizia: “salvo quanto à contribuição sindical, cujo desconto independe dessas formalidades”. Assim, a contribuição sindical não é mais obrigatória.

No entanto, muitas empresas ainda ficam na dúvida: a contribuição sindical não é mais obrigatória tanto para os empregados quanto para os empregadores?

Como saber? Como deixar de pagar? Posso pagar caso seja interessante para a empresa? Essas e outras respostas práticas você encontra no Curso de Extensão da Unisul: Os Impactos da Reforma Trabalhista no seu Negócio. Saiba mais: e.unisul.br/reformatrabalhista

 

* Edgar Herzmann 
Advogado. Bacharel em Direito pela Universidade do Vale do Itajaí (Univali). Especialista em Direito e Processo do Trabalho pelo Complexo de Ensino Superior de Santa Catarina (Cesusc). Assessor Jurídico do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/SC). Autor do Livro Guia Prático da Reforma Trabalhista (2018), pela Editora Habitus. Professor de Direito e Processo do Trabalho em curso preparatório para concurso público e em universidades catarinenses

Você sabe o que é “Contrato Intermitente”?

Por Edgar Herzmann

Entre os diferentes pontos que foram afetados pela Lei nº 13.467/2017 (reforma trabalhista), chamamos a atenção para uma nova modalidade de contratação chamada de intermitente. A Lei define o trabalhador intermitente como sendo aquele no qual a prestação de serviços, com subordinação, não é contínua, ocorrendo com alternância de períodos de prestação de serviços e de inatividade.

No Brasil, a formalização do trabalho intermitente é uma novidade. Essa modalidade de contratação é baseada na alternância de períodos de trabalho e inatividade. Numa linha bem objetiva, tem-se a seguinte dinâmica: quando tiver trabalho, haverá salário e pagamento das verbas trabalhistas, quando não houver trabalho, não haverá salário.

Inúmeras empresas estão ansiosas para contratar de forma intermitente. Porém, temos que ter atenção para alguns pontos, pois estamos diante de um terreno novo e altamente perigoso.

Na prática, o contrato de trabalho intermitente deve ser celebrado por escrito e o trabalhador poderá ficar dias ou meses sem trabalhar. A contratação se fará por hora de trabalho, a qual não poderá ser inferior ao valor hora do salário mínimo ou ao salário devido aos demais empregados da empresa que exercem a mesma função do trabalhador intermitente. Isso significa que numa mesma empresa poderá existir empregado “normal” e intermitente desempenhando a mesma função.

Para melhor compreender todas as características, vantagens e perigos da contratação intermitente, matricule-se no Curso de Extensão da Unisul: Os Impactos da Reforma Trabalhista no seu Negócio. Saiba mais: e.unisul.br/reformatrabalhista